Projeto “12 Setembros” promove saúde mental para pessoas intersexo além do Setembro Amarelo

Iniciativa da ABRAI visa oferecer acesso à psicoterapia e grupos de apoio para enfrentar desafios de saúde mental específicos da comunidade intersexo.

19 de março de 2024 | Projetos | por Céu Albuquerque
Foto: Canva

O projeto “12 setembros” faz parte do programa Luz no Caminho, desenvolvido pela ABRAI. O nome do projeto faz alusão à necessidade de cuidados de saúde mental para além do Setembro Amarelo. A ONU – Organização das Nações Unidas – recentemente divulgou dados que apontam que em 2019, quase um bilhão de pessoas no mundo viviam com algum transtorno mental. Esses dados causam preocupações em profissionais que atuam na linha de frente no atendimento de saúde.

No contexto brasileiro, é cada vez mais comum que nossos familiares e amigos sejam diagnosticados com algum tipo de transtorno mental. Podemos dizer que todo brasileiro conhece no mínimo uma pessoa que vivencia o sofrimento de lidar com algum tipo de transtorno.

Ao longo do primeiro semestre de 2021 até o final do primeiro semestre de 2022, durante os atendimentos feitos por assistentes sociais da ABRAI, foi alarmante a situação de saúde mental de parte das pessoas intersexo atendidas. Não exatamente com diagnósticos de transtornos, mas com relatos complexos que demandavam acompanhamento psicossocial com a máxima rapidez. Desta forma, essas pessoas intersexo foram encaminhadas para a rede de saúde para iniciar acompanhamento psicológico, porém a fragilidade da rede de atendimento somada ao escasso conhecimento em relação às demandas intersexo faz com que essas pessoas não consigam de fato acessar o direito ao acompanhamento adequado de saúde, por vezes desistindo no meio do processo.

Pensando na importância de promover às pessoas intersexo acesso a profissionais de psicologia que estejam comprometidos com a atenção à saúde LGBTQIA+, o projeto “12 setembros” buscou parcerias com esses profissionais para atendimento de pessoas intersexo de todo o Brasil, sobretudo as que apresentem demandas de saúde mental durante os atendimentos sociais com assistentes sociais da ABRAI. O projeto atualmente está sendo desenvolvido em parceria com profissionais de psicologia e com docentes e alunos do último ano do curso de psicologia da PUC (Pontifícia Universidade Católica), tendo a proposta de atendimentos individuais de psicoterapia e também a realização de grupos psicoterapêuticos, com o objetivo de promover espaços seguros de escuta e acolhimento para pessoas intersexo e seus familiares, dentro de uma abordagem que propõe o rompimento do estigma e patologização dos corpos intersexo, reconhecendo e respeitando suas vivências de intersexualidade. Saúde mental tem relação com acesso, ruptura de barreiras, discriminações e preconceitos.

Os atendimentos serão feitos por profissionais cadastrados através de formulário da ABRAI. As inscrições dos participantes serão feitas também através de formulário específico.

O projeto “12 setembros” poderá ser reestruturado conforme demanda e necessidade.

As três modalidades do projeto “12 setembro” serão:

  • Atendimentos individuais:

– Bolsa integral (100% gratuita): atendimento para pessoas intersexo e/ou familiares de pessoas intersexo em situação de vulnerabilidade social.


– Bolsa parcial (valor social sugerido pelo profissional): atendimento para pessoas intersexo e/ou familiares de pessoas intersexo que possam pagar um valor social pelos atendimentos, direto ao profissional.

Cada profissional poderá determinar a quantidade e modalidade de bolsas que irá disponibilizar.

  • Grupo psicoterapêutico para ativistas intersexo:


Encontros online conduzidos por profissionais de psicologia e alunos do último ano de graduação de psicologia da PUC SP, cujos temas abordados serão sugeridos pelas pessoas intersexo participantes do grupo. A frequência de encontros será combinada entre o grupo.

  • Grupo de apoio para familiares de crianças e adolescentes intersexo:


Encontros online conduzidos por profissionais de psicologia e alunos do último ano de graduação de psicologia da PUC SP, cujos temas abordados serão sugeridos pelas pessoas participantes do grupo. Inicialmente, os encontros acontecerão uma vez por mês.

Apoie a ABRAI

Para manter os seus canais de informação, oferecer cursos e palestras ou ajudar diretamente pessoas Intersexo em situação de fragilidade física e psicológica, a ABRAI precisa de fundos. Veja como ajudar.